Você pode ouvir a dica completa no player abaixo. Dê um play!

Empréstimos e financiamentos podem impulsionar seu negócio, mas devem ser avaliados por você MEI com todo cuidado. São apenas instrumentos auxiliares e temporários.

Apesar de crédito ser útil e de grande necessidade em muitas situações, deve sempre ter em foco que apenas obter empréstimos não vai resolver definitivamente o descontrole no fluxo de caixa ou a necessidade de recursos financeiros adicionais. Porém, se a causa da falta de dinheiro não for resolvida, o problema é apenas adiado, e ainda pode ser agravado pela necessidade de pagar, além das despesas normais, juros e taxas dos empréstimos.

Esta decisão é sua e você deve estar atento ao motivo de tomar o crédito e buscar a solução correta, muitas vezes uma conversa com o próprio gerente do banco, pode auxiliar na tomada de decisão.

Importante: o crédito deve ser utilizado com prudência. O maior perigo do crédito é seu uso sem planejamento.

Fique atento com as particularidades que existem em 2 tipos muito comuns de procura pelas empresas para ter acesso a crédito, normalmente, as taxas de juros são diferenciadas para cada um.

  • Você precisa de recursos financeiros no curto prazo, em situações de emergência, para despesas do dia a dia, para compra de mercadorias, para cobrir falta de dinheiro no seu fluxo de caixa?
    Essas necessidades apontam a busca de crédito para capital de giro.
  • Você precisa de crédito de longo prazo para construir, expandir os negócios, reformar, modernizar, comprar máquinas e equipamentos, veículo ou moto para fazer entregas? 

Essas necessidades lhe apontam para a busca de investimento.

Atenção: não use o capital de giro se você quer comprar máquinas e equipamentos, pois o prazo é curto. Use os recursos para a destinação correta. Máquinas e equipamentos podem ser comprados com prazos mais longos.

Com a movimentação no banco, o MEI passa a ter histórico bancário e o crédito pode ser aprovado com maior facilidade. Os bancos oferecem muitas opções de crédito. É importante que o histórico do cliente seja positivo, isto é, que mantenha o “nome limpo” para evitar restrições e obter condições mais vantajosas.

Os valores cobrados de juros, taxas, tarifas e impostos variam de uma instituição para outra e também de acordo com a modalidade da linha de crédito.

Normalmente, os bancos cobram um percentual sobre o valor do crédito, a título de taxa de juros. Sobre a maioria das operações de crédito é também cobrado o Imposto sobre Operações de Crédito – IOF. Há ainda, a Tarifa para Abertura de Crédito – TAC e a tarifa para confecção ou renovação de cadastro.

Considerando a disponibilidade no sistema bancário e sempre tendo como premissa a necessidade de aprovação cadastral, as principais linhas de crédito para o MEI, com conta corrente de pessoa jurídica, ou seja, no nome de sua empresa, são:

  • Cheque Especial: limite adicional de recursos financeiros aprovados e vinculados à conta corrente que permite a utilização de um dinheiro extra, pelo tempo que for preciso, sem ter de avisar o banco. O limite do cheque especial nada mais é do que o valor que é somado ao seu saldo em conta corrente.
    Cuidado: o cheque especial é muito útil em situações de emergência, quando se necessita de dinheiro por poucos dias. Se usá-lo por muito tempo, pagará juros altos.

  • Cartão de Crédito: limite de crédito para utilização de cartão para o pagamento e compra de mercadorias e que permite ainda ao cliente escolher a forma de pagamento, que pode ser o valor total, somente o mínimo ou o valor intermediário, adiando o pagamento do restante para o mês seguinte, mediante pagamento de juros.

        Cuidado: não use o cartão de crédito como forma de empréstimo porque os juros são muito altos.

  • Antecipação de Recebíveis – Descontos de Cheques Pré-Datados ou Vendas com Cartão de Crédito: modalidade de crédito em que o banco antecipa os valores que você tem a receber em cheques pré-datados ou valores recebidos pelas suas vendas com cartão de crédito.

            Fique Atento: as vendas realizadas com cartões de crédito e cheques pré-datados podem servir de base para o banco lhe oferecer capital de giro com melhores condições do que para a antecipação de recebíveis. Verifique com seu banco.

  • Financiamento de Máquinas e Equipamentos: as instituições financeiras disponibilizam várias linhas de crédito para a compra de máquinas e equipamentos. Nessas operações são exigidas garantias para suportar o valor do bem que está sendo adquirido e elas podem, ainda, manter o bem alienado. Os prazos são mais longos e as taxas de juros, mais baixas; converse com o gerente do banco.
    Uma das maiores dificuldades enfrentada pelo MEI na hora de acessar o crédito é a exigência feita pelas instituições financeiras, de garantias sólidas.

  • Na maioria das vezes é solicitado o aval de terceiros. O aval é uma garantia pessoal, pela qual o avalista se compromete a pagar a dívida, caso o devedor não pague.

  • Outra possibilidade muito usual é a solicitação pelas instituições financeiras de garantias reais, ou seja, bens dados em garantia a uma operação de crédito, como, por exemplo: um veículo, um imóvel, safra agrícola, entre outros.
    Fique Atento: alguns bancos disponibilizam fundo de aval e fundos garantidores que podem ajudar na complementação da garantia.

MEI tenha sempre em mente que o crédito funciona do mesmo jeito de um remédio, tomado na dose certa ele cura, já na dose errada, pode levar até a morte, que é a falência da sua empresa.