Você pode ouvir a dica completa no player abaixo. Dê um play!

    A pipoca é um tipo de alimento que não possui restrição, podendo ser consumido por qualquer pessoa. O público é dos mais variados, crianças, idosos, homens e mulheres, de qualquer idade.

    Muitos profissionais precisam emitir notas fiscais da prestação de serviços, além de conseguir condições de compras melhores pelo fato de ter CNPJ. Para atender a esta necessidade, a formalização como MEI é uma opção viável, que traz também a tranquilidade de estar amparado pelos benefícios previdenciários, como: auxílio doença, salário maternidade, aposentadoria, entre outros. A formalização ocorre através da atividade de: PIPOQUEIRO.

    Acesse os serviços da nossa plataforma e conheça o que a Dicas MEI tem para você e como pode auxiliar na formalização e no dia a dia como MEI.

    A forma de atuação ocorre através de ponto fixo ou por meio de trabalhos em locais pré-determinados. O futuro MEI tem que verificar junto à Prefeitura, quais as exigências para trabalhar no local desejado.

    O investimento inicial fica em torno de R$ 5.000,00 e compreende: carrinho de pipoca; botijão de gás; calculadora simples; equipamento de iluminação para venda noturna; isopor para bebidas; luvas; extintor de incêndio e avental.

    Alguns custos são rotineiros, como a compra de milho e insumos: sal, açúcar, óleo, saquinhos para pipocas, além das bebidas, refrigerantes, sucos e água, copos descartáveis, canudos, gelo e também do material de limpeza. E o MEI tem que ter o dinheiro para pagar, que é o que chamamos de capital de giro. A previsão dos recursos é baixa e está estimado em torno de R$ 250,00 ao dia, até porque a venda e o recebimento são diários.

    Outra boa condição de trabalho é que o milho, principal matéria-prima é encontrado facilmente e com opções que garantem a oferta com qualidade.

    O principal atrativo para a comercialização da pipoca é a venda em locais com fluxo de pessoas que buscam o lazer, como em praças, centros comerciais, eventos esportivos, show, igrejas, parques, circos, estádios de futebol, autódromos, perto de cinemas, clubes, entre outros.

    Fique atento: tenha cuidado especial com o local de armazenagem do carrinho, considerando que possui botijão de gás e, por consequência, apresenta risco de acidentes.

    A operação no dia a dia é simples, mas não descuide com a higiene sanitária e limpeza, elas são fundamentais para garantir a qualidade do produto e a satisfação do cliente.

    Caso venha precisar de ajuda, você como MEI, pode contratar um funcionário e o ideal é que antes de iniciar os trabalhos, aplique treinamento com os conhecimentos básicos de gestão e operação do carrinho, além de dar dicas de como tratar e encantar os clientes.

    Procure identificar a hora de diversificar, de agregar valor ao negócio, como passar a ofertar diferentes tipos de pipocas: doce, com bacon, com chocolate. Pode incluir, também, a venda de balas, chicletes, jujubas, gomas, chocolates.

    Invista na sua apresentação, procure usar vestimentas que mostrem para o cliente a preocupação com o negócio, o jaleco é fundamental. Mantenha o carrinho com a pintura sempre nova e se permitido aplique adesivos com a marca da empresa.

    MEI, Preste Atenção: fazer um bom dimensionamento da quantidade diária de pipocas que serão vendidas, evita desperdícios e aumenta a lucratividade.