Você pode ouvir a dica completa no player abaixo. Dê um play!

    Restaurador é o profissional responsável em identificar, resgatar, recuperar, reformar, restaurar e acima de tudo preservar patrimônios e objetos históricos com a finalidade de garantir a relevância e manutenção da memória de fatos importantes para a sociedade.

    E a sociedade tem papel fundamental nos trabalhos, principalmente no apelo cultural para tornarem vivas estas memórias, e assim contar e conhecer a história por meio de elementos que tenham significado único de gerações anteriores, como: prédios, casas, monumentos, praças, acervo de livros, pinturas, obras de arte, esculturas, instrumentos musicais, entre outros.   

    A tarefa está cada vez mais exigente, vem ganhando espaço no Brasil e são poucos os profissionais habilitados na área. Os trabalhos exigem técnicas e habilidades próprias que garantam a interpretação e compreensão da importância do legado do patrimônio histórico para lugares e populações. 

    Muitos profissionais precisam emitir notas fiscais da prestação de serviços, principalmente para poder trabalhar com museus, secretarias de cultura, órgãos governamentais e estabelecimentos comerciais.
    
    Para atender a esta necessidade, a formalização como MEI é uma opção viável, que traz também a tranquilidade de estar amparado pelos benefícios previdenciários, como: auxílio doença, salário maternidade, aposentadoria, entre outros, além de conseguir condições de compras melhores pelo fato de ter CNPJ. A formalização ocorre através das atividades de RESTAURADOR DE OBRAS DE ARTE, RESTAURADOR DE LIVROS, RESTAURADOR DE INSTRUMENTOS MUSICAIS HISTÓRICOS e RESTAURADOR DE JOGOS ACIONADOS POR MOEDAS. Você pode se formalizar em todas ou naquelas que melhor se encaixarem no que você for fazer.

    Acesse os serviços da nossa plataforma e conheça o que a Dicas MEI tem para você e como pode auxiliar na formalização e no dia a dia como MEI.

    As duas principais formas de atuação permitem que o atendimento ao cliente ocorra na própria residência ou de maneira externa, através de ponto fixo ou por meio de trabalhos em locais pré-determinados. O futuro MEI tem que verificar junto à Prefeitura, quais as exigências para trabalhar no local desejado. Para mais informações acesse a nossa dica: Consulta Prévia ou de Viabilidade à Prefeitura.

    Os principais contratantes dos serviços são: museus, secretarias de cultura, órgãos governamentais oficiais de proteção ao patrimônio e ateliers especializados com foco na adequação de patrimônios e objetos históricos à vida contemporânea. 

    Para um bom desempenho das atividades é fundamental que o Restaurador tenha conhecimentos aprimorados em história, história da arte, filosofia e na elaboração de projetos. Ter noções básicas de química, física, biologia, estética e ética.

    O processo como um todo, tem que priorizar a recuperação e revitalização da estrutura física do patrimônio ou objeto restaurado, garantindo assim, que a personalidade e raiz cultural presentes na obra original sejam contemplados integralmente, sem cometer falsificação histórica ou artística, além de fortalecer os vestígios temporais.

    Agora, em relação às ferramentas e materiais de trabalho, depende diretamente da complexidade do patrimônio ou objeto histórico que será restaurado. Cabe ao profissional, anteriormente, a aceitação dos serviços, verificar qual a estrutura disponibilizada para exercer as atividades, considerando os equipamentos de trabalho imprescindíveis e se necessário, agregar ao orçamento as ferramentas e materiais para a perfeita conclusão do proposto. Tenha muita atenção a este item, pois os valores podem impactar consideravelmente a proposta. Faça pesquisas e simulações de preços junto às casas especializadas em restauração para conseguir elaborar uma proposta mais equilibrada e vantajosa para as partes. 

    Já as qualidades primordiais para um bom trabalho são: sensibilidade para identificar os valores atribuídos pela sociedade aos bens culturais; destreza manual e domínio de técnicas para manusear os bens culturais e a proatividade para buscar sempre a renovação do conhecimento. Invista na capacitação profissional.  

    No marketing do negócio, as redes sociais, como Facebook e Instagram são ferramentas importantíssimas e complementares para alavancar os serviços, principalmente pela facilidade de acesso e o baixo custo envolvido. Toda a publicação de conteúdo, imagens e textos, tem que ser bem avaliados e o cliente tem que perceber que as informações estão sendo úteis para ele. Coloque também depoimentos dos clientes e imagens de serviços realizados, se possível “do antes e depois”. É fundamental solicitar ao cliente a autorização prévia para publicação do conteúdo.

    A propaganda e publicidade dos serviços podem ser feitas também através da distribuição de panfletos e cartões de visita em museus, centros históricos, órgãos governamentais e estabelecimentos privados de interesse no assunto. Devem ser considerados, anúncios em revistas e jornais especializados sobre o tema. Entretanto a divulgação “boca a boca” é a mais eficaz, o que aumenta a necessidade e importância pela qualidade dos serviços prestados, pontualidade e cordialidade, além é claro de ter um preço justo.

    Uma boa prática de gestão de relacionamento é montar o cadastro com os dados dos clientes, patrimônios e objetos históricos, além dos serviços prestados.  Identifique também a melhor maneira de comunicação, se é por email, WhatsApp, telefone ou pessoalmente. Trazer a relação profissional para o lado pessoal faz toda a diferença.

    Preste Atenção, estabeleça parcerias com escritórios de arquitetura, design e decoração; atualmente,  o mercado de trabalho está em uma crescente valorização e a procurar por restauração de casas e prédios históricos estão cada vez mais na pauta das contratações.