Barra de progresso de leitura da página
Login / Cadastrar
Imagem do post Restaurante Pequeno

Você pode ouvir a dica completa no player abaixo. Dê um play!

O mercado de alimentação é amplo e com um grande número de consumidores, mas também muito competitivo, o que demanda planejamento e dedicação. Ainda há espaço de se aventurar, mas sempre tendo em mente que buscar um diferencial competitivo é fundamental para agregar valor nas vendas.

Todo trabalho terá que prezar pela entrega de comidas com qualidade, higiene nas instalações e manuseio dos alimentos, além de prestar atendimento com cordialidade e ter preço justo.

Outro ponto de extrema importância é ter um espaço preparado para agradar o cliente, que ofereça a sensação de bem estar e conforto, com mesas e cadeiras espaçosas, iluminação agradável e sistema de ar condicionado adequado ao clima local. Isto faz toda diferença.

Você pode incluir a opção de Delivery. Avalie bem a possibilidade e os custos envolvidos e mãos a obra.

Muitos profissionais precisam emitir notas fiscais da comercialização dos produtos. Para atender a esta necessidade, a formalização como MEI é uma opção viável, que traz também a tranquilidade de estar amparado pelos benefícios previdenciários, como: auxílio doença, salário maternidade, aposentadoria, entre outros; além de conseguir condições de compras melhores pelo fato de ter CNPJ. A formalização ocorre através da atividade de: PROPRIETÁRIO DE RESTAURANTE.

Acesse os serviços da nossa plataforma e conheça o que a Dicas MEI tem para você e como pode auxiliar na formalização e no dia a dia como MEI.

A forma de atuação ocorre através de ponto fixo ou por meio de trabalhos na própria casa, desde que não tenha restrições no Código de Zoneamento Urbano do município. Uma boa alternativa para trabalhar em casa é a oferta de marmitex na região e também para empresas e obras da construção civil nas proximidades. O futuro MEI tem que verificar junto à Prefeitura, quais as exigências para trabalhar no local desejado.

> Para mais informações acesse a nossa dica: Consulta Prévia ou de Viabilidade à Prefeitura.


Para o MEI que vai montar restaurante em casa, a área de produção, basicamente, é a cozinha que deve ter uma distribuição que permita a livre circulação de pessoas e você pode começar com os equipamentos que já tem e a estrutura mínima ideal, compreende: geladeira, freezer, fogão, forno elétrico, micro-ondas, balança de precisão para pequenos volumes, balança para pesagens de maior volume, recipientes para a armazenagem de insumos e para o transporte dos produtos acabados, liquidificador, fritadeira, mesa para a fabricação dos alimentos, armários, pia de higienização, embalagens plásticas, máquina empacotadora de preferência a vácuo e lixeiras que não necessitam de toque para abertura.

Para fins de tornar mais compreensível a estimativa do investimento médio inicial, o valor fica em torno de R$ 12.000,00 para a aquisição de todos os equipamentos e acessórios citados. Não esqueça que você deve provisionar mais R$ 1.000,00 para a primeira compra de matérias-primas e ingredientes, considerando o mix de produtos que serão ofertados; além de R$ 150,00 por dia para o capital de giro que se destina a reposição dos insumos consumidos. Os valores serão atualizados com o dia a dia das operações.

Tenha o hábito de usar luvas e máscaras.

É fundamental que as paredes, teto e chão tenham cores claras, para facilitar a limpeza e garantir a higiene, assim como deve ser uma área seca e arejada.

Preste atenção nas dicas a seguir. Muitas delas também se aplicam para quem vai trabalhar em casa.

Para o MEI, que for montar restaurante em ponto comercial, os fatores críticos são: a escolha do local, a definição dos serviços e o cardápio que será disponibilizado aos clientes. A preferência é para áreas com grande fluxo de pessoas, próximas às regiões com comércio já estabelecido, como: mercados municipais, shoppings, praças de alimentação, ruas de restaurantes, entre outros.

Avalie a existência de concorrência na vizinhança, entenda os hábitos de consumo dos potenciais clientes, se a preferência é por comida por quilo ou pratos mais elaborados e procure ter linhas diferenciadas de produtos.
A escolha de fornecedores deve ser bem criteriosa, é o primeiro passo para que a qualidade do produto seja reconhecida pelos clientes. Não será um desafio, pois todos os insumos são encontrados nos supermercados, feiras, ceasas, atacadistas e distribuidores, cabendo pesquisa dos preços para uma melhor compra.
O local de armazenagem dos insumos deve ser limpo todos os dias. Na geladeira, todos os alimentos devem ser conservados tampados, e descartar os alimentos velhos, se houver. Verduras, legumes, carnes, frangos e similares deverão ser comprados em menores quantidades e com maior frequência para se evitarem perdas e garantir produtos sempre frescos. Os prazos de validade dos alimentos devem ser cuidadosamente observados.
Uma prática que pode fazer a diferença é ter o costume de usar tábuas e facas diferentes para os tipos de produtos, ou seja, não misturar, os cortes de carnes, aves, peixes, queijos e embutidos, verduras, legumes e doces.


As condições de higiene sanitária e os cuidados com os riscos previstos pelo Corpo de Bombeiros são importantíssimos para o desenvolvimento do negócio. Para mais informações acesse as nossas dicas: Vigilância Sanitária - Precauções com a Segurança Sanitária Licenciamento - Corpo de Bombeiros.


Fique atento, as linhas diet e light ou sem adição de algum nutriente são regulamentadas pela ANVISA, verifique os procedimentos e exigências a serem cumpridas conforme as Portarias 27 e 29 de 13 de janeiro de 1998 e não deixe de consultar médicos e nutricionistas para a validação dos produtos ofertados.
Para um modelo tradicional de restaurante com estrutura enxuta, o valor inicial médio de investimento leva em consideração os equipamentos de trabalho e as instalações para o cliente, fica em torno de R$ 25.000,00 e compreende: freezer, geladeira, fogão, liquidificador, chapas para grelhados, forno elétrico, micro-ondas, espremedor de frutas, fritadeira, mesas e cadeiras, louçaria e talheres, copos e xícaras, balança de precisão para pequenos volumes, balança para pesagens de maior volume, computador e impressora fiscal, pias, balcão de atendimento, balcão caixa, entre outros, além é claro da própria reforma do local, que deve priorizar o piso frio e pintura de paredes na cor clara e disponibilizar banheiros.

Alguns custos são rotineiros e precisam ser previstos, como: aluguel do ponto comercial, água, luz, telefone e acesso a internet.
O ideal é que se disponibilize pelo menos R$ 2.500,00 para a primeira compra das matérias primas e dos ingredientes, conforme o mix de produtos e bebidas que serão ofertados. Além da aquisição de luvas e máscaras. E preste atenção com o estoque, diariamente você terá que comprar os insumos e o ideal é que faça previsão de pelo menos R$ 200,00 para isso, que é o que chamamos de capital de giro. Os valores serão adaptados com o dia a dia das operações.

É essencial estar preparado para o trabalho e fazer curso de manipulação e higiene de alimentos para aprender como lidar com produtos de origem alimentícia. Invista na atualização profissional.

Caso venha precisar de ajuda, você como MEI, pode contratar um funcionário e o ideal é que antes de iniciar os trabalhos, ele também se capacite.

Na hora de vender, procure estabelecer relacionamento de confiança com seus futuros clientes e crie um ciclo de amizade com cada um deles. Em relação aos recebimentos, disponibilize a maquininha para pagamento com cartão de débito e crédito. Tenha internet grátis para os clientes.

Caso tenha espaço, procure adaptar alguns brinquedos infantis e ofertar jogos recreativos, o entretenimento das crianças é uma boa maneira de fidelizar os pais.

Já no marketing do negócio, as redes sociais, como Facebook e Instagram são ferramentas importantíssimas e complementares para alavancar os serviços, principalmente pela facilidade de acesso e o baixo custo envolvido. Toda a publicação de conteúdo, imagens e textos, tem que ser bem avaliados e o cliente tem que perceber que as informações estão sendo úteis para ele. Coloque também depoimentos dos clientes e imagens deles no restaurante. É fundamental solicitar ao cliente a autorização prévia para publicação do conteúdo. E lembre-se quem não é visto não é lembrado.

A propaganda e publicidade do restaurante podem ser feitas também através da distribuição de panfletos e cartões de visita em locais com grande fluxo de pessoas, priorizando a vizinhança do negócio e os clientes já existentes. Devem ser considerados, anúncios em revistas e jornais de bairro e nas rádios comunitárias. Entretanto a divulgação “boca a boca” é a mais eficaz, o que aumenta a necessidade e importância pela qualidade dos serviços prestados, pontualidade e cordialidade, além é claro de ter um preço justo.

Fique atento com a oportunidade de utilizar os sites de compras coletivas para ofertar promoções de pratos que tenham atratividade aos clientes, mas esteja preparado para atender as demandas, você não pode deixá-los insatisfeitos.

Uma boa prática de gestão de relacionamento é montar o cadastro com os dados pessoais dos clientes. Identifique também a melhor maneira de comunicação, se é por email, WhatsApp, telefone ou pessoalmente.

Preste atenção, para manter a lucratividade e o cliente satisfeito, você precisa investir na qualidade do produto, nas práticas do bom atendimento, ter um programa de fidelização, estar sempre trazendo novidades, apostar na publicidade e acima de tudo ter muita dedicação. Isto faz toda diferença.