Você pode ouvir a dica completa no player abaixo. Dê um play!


    Os sorveteiros são profissionais que dominam as técnicas para fabricação de sorvetes, tanto com a utilização de máquinas como de maneira artesanal. Atuam em conformidade com as normas e procedimentos técnicos e de qualidade.

    O mercado é abrangente, agrada todo tipo de público e idade. Os mais tradicionais são os sorvetes em massa, picolé e os softs, que são produzidos na hora e consumidos principalmente em redes de fast food. Também são utilizados em sobremesas, tortas e bolos.

    Uma boa opção é a linha de produtos funcionais: diet, light e para intolerantes à lactose ou glúten. Antes de produzir, entre em contato com nutricionistas e médicos para a validação da composição da receita dos sorvetes.

    Muitos profissionais precisam emitir notas fiscais para comercialização dos produtos, principalmente para vendas aos atacadistas, além de conseguir condições de compras melhores pelo fato de ter CNPJ. Para atender a esta necessidade, a formalização como MEI é uma opção viável, que traz também a tranquilidade de estar amparado pelos benefícios previdenciários, como: auxílio doença, salário maternidade, aposentadoria, entre outros. A formalização ocorre através das atividades de: SORVETEIRO E SORVETEIRO AMBULANTE. Você pode se formalizar nas duas ou naquela que melhor se encaixar no que você for fazer.

    Acesse os serviços da nossa plataforma e conheça o que a Dicas MEI tem para você e como pode auxiliar na formalização e no dia a dia como MEI.

    As principais formas de atuação permitem que o sorvete seja fabricado de maneira artesanal na própria residência ou de maneira externa, através de ponto fixo. Pode realizar trabalhos apenas de vendas em locais pré-determinados, como ambulante. O futuro MEI tem que verificar junto à Prefeitura, quais as exigências para trabalhar no local desejado.

    O consumo de sorvetes no Brasil passa de 1 bilhão de litros por ano, o que dá uma média superior a 5 litros por habitante. Estamos entre os 10 maiores produtores e consumidores mundiais. Estes dados comprovam novas oportunidades e espaço para trabalhar neste mercado. 

    As opções de vendas têm que levar em consideração o fator da localidade, principalmente porque é possível ter sabores com características regionais o que estimula o consumo variado do produto, além de trazer vantagens aos pequenos negócios, como o MEI, por conseguir mais rapidez no lançamento de novos produtos e adaptação às demandas do mercado.

    Na hora de produzir, o local basicamente é a cozinha, que deve ter uma distribuição que permita a livre circulação de pessoas e você pode começar com os equipamentos que já tem e a estrutura mínima ideal, compreende: geladeira, freezer, fogão, micro-ondas, balança de precisão para pequenos volumes, balança para pesagens de maior volume, recipientes para a armazenagem de insumos e para o transporte dos produtos acabados, liquidificador, mesa para a fabricação dos sorvetes, armários, pia de higienização, embalagens plásticas e lixeiras que não necessitam de toque para abertura.

    É fundamental que as paredes, teto e chão tenham cores claras, para facilitar a limpeza e garantir a higiene, assim como deve ser uma área seca e arejada. 

    A área de armazenagem dos produtos são as geladeiras e freezers, que deverão ser adaptados com prateleiras e gavetas para facilitar o manuseio e com temperatura máxima de -18ºC, conforme determina regulamentação da ANVISA sobre a conservação de alimentos congelados. Os produtos estocados devem conter data de validade e a data de entrada no estoque. 

    Verifique a refrigeração dos freezers e não coloque os sorvetes prontos diretamente na linha do frio, procure manter o afastamento mínimo de 10 cm.

    O investimento inicial fica entre R$ 11.000,00 a R$ 15.000,00 e compreende a reforma da cozinha para adaptação as condições de higiene sanitária e aquisição dos equipamentos e utensílios mais comuns, já descritos acima. Neste caso não estão sendo considerados os equipamentos que você já tem para a composição do investimento inicial.

  • O ideal é que se disponibilize pelo menos R$ 1.000,00 para a primeira compra dos insumos, conforme o mix de sorvetes que serão ofertados. A previsão dos recursos depende diretamente da produção diária, mas uma boa estimativa é de R$ 300,00 a cada 5 dias.

    A escolha de fornecedores deve ser bem criteriosa, é o primeiro passo para que a qualidade do produto seja reconhecida pelos clientes. Não será um desafio, pois todos os insumos são encontrados nos supermercados, feiras, ceasas, atacadistas e distribuidores, cabendo pesquisa dos preços para uma melhor compra.
    
    Na hora de preparar os sorvetes, padronize o tamanho e procure manter o mesmo peso. O cliente vai ter a sensação de comprar sempre o mesmo produto. 

    Apostar na capacitação e fazer cursos agrega diferenciação profissional, além de atender aos requisitos de Boas Práticas de Fabricação, essenciais para o controle da qualidade dos produtos. Conheça e aplique as regras estabelecidas pela Resolução RCD nº 267 da ANVISA, sobre gelados comestíveis.

    Caso venha precisar de ajuda, você como MEI, pode contratar um funcionário e o ideal é que antes de iniciar os trabalhos, ele também passe por treinamentos e cursos.

    Já no marketing do negócio, as redes sociais, como Facebook, Instagram e Snapchat são ferramentas importantíssimas e complementares para alavancar as vendas, principalmente pela facilidade de acesso e o baixo custo envolvido. Toda a publicação de conteúdo, imagens e textos, tem que ser bem avaliados e o cliente tem que perceber que as informações estão sendo úteis para ele. 

    A propaganda e publicidade da empresa podem ser feitas também através da distribuição de panfletos e cartões de visita em locais com grande fluxo de pessoas, priorizando a vizinhança do negócio e os clientes já existentes. Devem ser considerados, anúncios em revistas e jornais de bairro e nas rádios comunitárias. Entretanto a divulgação “boca a boca” é a mais eficaz, o que aumenta a necessidade e importância pela qualidade dos sorvetes vendidos e cordialidade no atendimento ao público, além é claro de ter um preço justo.

    Uma boa prática de gestão de relacionamento é montar o cadastro com os dados pessoais e de preferências dos clientes mais ativos, que permitam você identificar: as datas festivas; período de consumo, a melhor maneira de comunicar, se é por email, WhatsApp, telefone ou pessoalmente. Trazer a relação profissional para o lado pessoal faz toda a diferença.

    Preste Atenção, carrinhos de sorvete em festas de crianças e linha de produtos gourmets são diferenciais que agregam valor em relação à concorrência, além de aumentar a possibilidade de faturamento.